Cosméticos Humanísticos: o novo Renascimento da Beleza, uma história para escrever em conjunto

Há mais de 30 anos que estou envolvido na Beleza e Bem-Estar, dirigindo uma empresa fundada há mais de 60 anos pelo meu pai, Giancarlo Negretti. Juntos, sempre tentámos promover o progresso no mundo da Beleza, promovendo o desenvolvimento científico e perseguindo princípios éticos sólidos em termos humanos, económicos, ecológicos e sustentáveis

Devo dizer, no entanto, que apesar dos objectivos que alcancei, a minha verdadeira ambição tem estado adormecida há muito tempo. Foram precisos anos de contacto directo com a insatisfação feminina – que raramente encontra respostas exaustivas às suas próprias necessidades – e com a frustração dos operadores de Beleza para sublinhar a todo o nosso sector que este sistema não funciona a não ser que se alarguem os horizontes e se coloque realmente o Homem e as suas necessidades de Beleza no centro com uma visão de 360° da pessoa, da sua experiência, da sua experiência de beleza e de todo o aspecto emocional relacionado com ela.

Decidi começar por me comparar mais com o outro. Comecei esta longa viagem ouvindo mais profundamente os meus colaboradores, que são os meus maiores apoiantes, e depois falando com os clientes. Alarguei o âmbito da investigação do complexo sistema de formação de profissionais do bem-estar e beleza, criando o projecto Orgulho de Ser, com o objectivo de apoiar os estudantes da PCP na construção da sua própria identidade profissional. Encontrei as melhores cabeças pensantes nos campos da medicina, psicologia, sociologia, antropologia e pedagogia que foram uma fonte de grande inspiração e motivação para mim e cujas propostas e pesquisas fizeram a diferença em dar uma clara impressão na direcção que eu queria dar à empresa e lançar os alicerces desta nova filosofia.

Senti a necessidade de mudar as coisas, dissolvendo preconceitos e paradigmas do sector e propondo uma cosmética que visa uma sustentabilidade integrada, colocando o verdadeiro Bem-estar da pessoa e do ambiente no centro dos seus interesses, criando produtos e serviços inovadores e plenamente satisfatórios que prolonguem a Juventude e melhorem a Auto-Estima dos clientes.

O objectivo dos cosméticos deve ser melhorar a aparência e a harmonia estética para alcançar o bem-estar interior: quando não desempenha este papel, cria desarmonia e desconforto. Cada um deve sentir-se belo no seu conceito de beleza única e autêntica, respeitando a sua própria visão, cultura e religião. A minha primeira intenção era precisamente quebrar o círculo vicioso da solicitação cosmética e sair da espiral que retira energia ao utilizador final gerando sofrimento.

O resultado foi um movimento cultural, Humanistic Cosmetics, que foi traduzido num livro a sair em Outubro, invocando a Beleza autêntica, dando vida a um novo capítulo na relação fundamental entre o Homem e a Beleza. Inspirados pelos princípios do Humanismo e do Renascimento, os Cosméticos Humanistas pretendem recolocar no centro da Beleza, o Homem e a sua identidade com as suas necessidades reais, respeitando os seus valores éticos e sociais, preservando a sua integridade individual.

É um livro People & Business Oriented que quer denunciar a distância entre a promessa de felicidade típica dos cosméticos e o resultado que quase sempre desilude as expectativas, e quer propor novas atitudes e soluções concretas.

Abrace La Cosmetica Umanistica, torne-se parte desta grande família e desta rede de inspirações e acções. Espero por vós de braços abertos… para escrevermos juntos um novo capítulo na história da Beleza!

Remover-se actualizado sobre os próximos artigos e iniciativas

    Política de Privacidade
    Ao submeter este pedido, declaro que li a Política de privacidade deste site e concordo com o processamento dos meus dados pessoais para a gestão deste pedido.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.